fechar

Sem categoria

Sem categoria

Arrecadação de tênis para atletas dos Jogos das Estações ganha campanha permanente do IORM

22688888_1878672632461745_4046495561991208161_n-840×500

O Instituto Oswaldo Ribeiro de Mendonça – IORM lançou a campanha permanente para arrecadação de tênis para crianças, adolescentes e jovens que participam das competições esportivas dos Jogos Abertos das Estações, promovidas quatro vezes ao ano na cidade de Guaíra. E que é um dos mais importantes projetos da Fábrica de Esportes do Instituto Oswaldo Ribeiro de Mendonça – IORM.

Na primeira etapa de doações para os Jogos Abertos das Estações – categoria Inverno foram doados 18 pares de tênis, todos eles já destinados para alunos. Os jogos envolvem toda a cidade. Cada escola tem a sua cor de uniforme e torcida. No entanto, muitos dos alunos participavam dos jogos de pés descalços. Não tinham tênis para usar no treino ou na competição. Apesar do entusiasmo esportivo, o que os desfavorecia como competidores.

A partir de uma mensagem da fundadora do IORM, Josimara Ribeiro de Mendonça, à comunidade foram arrecadados, ainda em outubro, os primeiros pares de tênis, permitindo que os atletas passassem a contar com o calçado apropriado para treino e competição. “Pudemos observar que a performance do atleta muda. O tênis promove a autoestima, a confiança e o senso de pertencimento.”, destaca a coordenadora do Conselho do IORM, Maria Inês Guedes de Carvalho.

Além dos Jogos Abertos das Estações, a Fábrica de Esportes do IORM promove projetos esportivos em Guaíra, Orlândia, Ipuã e Miguelópolis. Para muitas das mais de mil crianças e adolescentes que participam desses projetos gratuitos, o tênis ainda é um sonho distante. Elas contam apenas com os uniformes doados pelo Projeto, mas partem para as quadras com vontade de vencer e pés descalços.

Para atender a essas crianças, a campanha será fortalecida. As doações podem acontecer durante todo o ano e deverão ser encaminhadas aos Polos do IORM nessas quatro cidades. Para que as doações cheguem a quem de fato precisa, compatibilizando número e modelo do tênis, o IORM criou um Centro de Distribuição unificado permitindo que todas as doações vêm para um único local.

Os professores do projeto estão orientados a identificar as necessidades de sua turma e a encaminhar a solicitação para este Centro. Toda doação será registrada, controlada e encaminhada ao professor responsável pela turma para ser entregue para a criança beneficiada.

leia mais
Sem categoria

Espetáculo Pequeno Príncipe estreia em Orlândia no dia 21 de novembro

Espetáculo Pequeno Príncipe em Orlândia
Espetáculo Pequeno Príncipe em Orlândia
Espetáculo Pequeno Príncipe em Orlândia
Espetáculo Pequeno Príncipe em Orlândia
Espetáculo Pequeno Príncipe em Orlândia
Espetáculo Pequeno Príncipe em Orlândia

O espetáculo Pequeno Príncipe, montagem da Usina da Dança, projeto do Instituto Oswaldo Ribeiro de Mendonça – IORM estreia no palco do Teatro Municipal Professora Maria José Bertrame Bordin, de Orlândia, na noite de 21 de novembro. As apresentações na cidade prosseguirão até o dia 25 de novembro.

Além dos ensaios que envolvem alunos da Usina da Dança e membros da equipe técnica, as costureiras do IORM trabalham de forma acelerada para a produção dos 800 figurinos que fazem parte do espetáculo. A contratação dos profissionais de costura injeta cerca de R$ 30 mil na economia das cidades de Orlândia e Miguelópolis.

No dia 1º de dezembro, será a vez de Ipuã receber o espetáculo. A apresentação ocorrerá a partir das 20 horas no palco do Country Club da cidade, com a presença artística da Usina da Dança e dos alunos da Artes e Ofícios Josy Ribeiro de Mendonça.

Em Guaíra, o espetáculo será apresentado no dia 7 de dezembro no Centro Cultural Colorado. O Centro Cultural Rail Miguel Sawan receberá a apresentação nos dias 14 e 15 de dezembro.

Espetáculo Usina da Dança tem como objetivo promover a democratização e a ampliação do repertório cultural, a participação social e a formação de público, nos municípios de Orlândia, Guaíra Miguelópolis e Ipuã, através da investigação, concepção, tradução, adaptação, elaboração roteiro, produção, apresentação e circulação de espetáculos de dança inspirado nos Contos Literários.

leia mais
EsporteInstitucionalSem categoria

Alunos do Núcleo Orlândia do Projeto Futuro Olímpico recebem seus uniformes esportivos

Os duzentos alunos e alunas do Núcleo Orlândia do Projeto Futuro Olímpico II, receberam, na tarde de 13 de novembro os seus uniformes para a prática esportiva.

O Projeto acontece em duas praças esportivas de Orlândia: o Núcleo Cultural Oswaldo Ribeiro de Mendonça – Castelinho, que pela primeira vez recebe projetos de esporte e também na quadra da ETEC Professor Alcídio de Souza Prado.

Em cada uma delas, desde o mês de agosto, 200 crianças adolescentes e jovens recebem aulas gratuitas de basquete e vôlei. Esta foi a segunda vez que o Projeto Futuro Olímpico foi realizado em Orlândia. A primeira etapa foi realizada internamente à Escola Logos e ofereceu aos alunos aulas de Ginástica Circense.

“Quando tantas empresas e pessoas se unem para proporcionar oportunidades para a prática esportiva, temos a certeza de que a nossa comunidade só tem a ganhar.”, destacou a coordenadora do Conselho do IORM, Maria Inês Marcório Guedes Moreira de Carvalho, na cerimônia de entrega dos uniformes.

Além de Orlândia, o Projeto Futuro Olímpico II é desenvolvido nos Núcleos do IORM em Miguelópolis, Ipuã e Guaíra. Tem como proponente a Adat, a Associação de Desporto do Alto Tietê, uma organização que há muito tempo é parceira do IORM.

O Projeto conta com o patrocínio da Fundação John Deere e do Grupo Colorado, via Lei de Incentivo ao Esporte do Ministério do Esporte.

A presença das empresas patrocinadoras reforça as ações de cidadania por meio do investimento de projetos esportivos. O trabalho realizado pelo IORM, diretamente, ou através de parcerias, está agora ainda mais forte em Orlândia. Além dos projetos de conteúdo artístico e cultural, oferecemos projetos esportivos.

leia mais
Cidade que educaSem categoria

II Seminário Cidade que Educa recebe Encontro de Redes do Projeto Guri

Um diálogo franco, produtivo e profundo sobre o papel da cultura no desenvolvimento da criança e do adolescente. Assim pode ser definido o painel “Educação, Cultura e Arte no Currículo da Cidade”, realizado na manhã de 27 de outubro, como parte do II Seminário Construindo uma Cidade Educadora, que também foi parte do Encontro de Redes do Projeto Guri.

O painel recebeu cerca de 90 pessoas e aconteceu na SALA CINERGIA/Centro Cultural Colorado/IORM, com a participação da gerente da regional do Projeto Guri de Ribeirão Preto, Aline Feltrin.
encontro envolveu setores como Educação, Saúde, Assistência Social e Cultura, com a finalidade de dialogar sobre a relevância da atuação em rede, buscando potencializar o trabalho intersetorial com os equipamentos dos municípios presentes.

“O Encontro foi uma oportunidade de apresentar o trabalho do Projeto Guri e IORM, sob a ótica da intersetorialidade. E também de fortalecer a parceria entre Projeto Guri e IORM, mostrando aos participantes os trabalhos realizados em conjunto, o potencial das atividades culturais para o desenvolvimento humano de crianças e adolescentes, os resultados já alcançados e outras possibilidades com os demais equipamentos.”, destacou Aline.

O encontro foi dedicado aos municípios da região que já sediam polos do Projeto Guri em parceria com o IORM, como Guaíra, Orlândia, Ipuã e Miguelópolis.
Na plateia, lideranças da área de educação e cultura dos municípios do entorno, como a presidente da Câmara Municipal de Orlândia, Michele Ruffo Junqueira e a diretora de Cultura do Município, Marilda Alves de Andrade, e a presidente do Fundo Social de Solidariedade do Município Miguelópolis Nara Aparecida Peraro Miguel . Também estiveram presentes gestores e técnicos dos municípios de Ipuã, Orlândia, Miguelópolis e Guaíra, o consultor da Ação Social Cooperada, Adalardo Martins e Daniel Nogueira da SICOOB Credicitrus. Além das coordenadoras dos Polos Guris dos quatro municípios parceiros do IORM, representantes da Casa da Criança Armanda Malvina e do Conselho Tutelar de Ipuã.

Os participantes do Encontro de Redes:
Dra. ROBERTA ROCHA BORGES: Pedagoga e doutora em Psicologia da Educação de pela Universidade de Campinas e Genebra, com estágio realizado nas creches e escolas de educação Infantil da Espanha, Suíça, Itália e Portugal

Dra. DANIELA GATTI: Doutora em Artes e Docente do Departamento de Artes Corporais da Universidade Estadual de Campinas. Atua no campo da pesquisa e ensino da dança no Curso de Graduação em Dança e no Programa de Pós Graduação em Artes da Cena do Instituto de Artes–UNICAMP coordenando o
Núcleo de Dança REDES.

DANIELLA XAVIER; Socióloga, Coordenadora Técnica do Núcleo de Parcerias e Alianças da Associação Amigos do Projeto Guri.

ROSANA MASSUELA; Gestora de processos comunicacionais -ECA/USP; Bacharel em música e regente. Coordenadora técnico Artístico Pedagógica pela AAPG – responsável pela área de canto coral, Acordeon, teclas, iniciação
musical e Fundamentos da Música.

VALERIA PAZETO, coordenadora artística da Usina da Dança, RAFAEL ALBUQUERQUE BRAGHIROLI, gerente Executivo, a coordenadora de Projetos, JANAÍNA CRISTINA AMADEU e MARIA INÊS MARCÓRIO GUEDES MOREIRA DE CARVALHO, coordenadora do Conselho, representaram o Instituto Oswaldo Ribeiro de Mendonça no evento.

O que disseram os participantes:
“Cada participante fez a leitura do mundo, partilhando com os presentes suas experiências, conhecimentos e aprimorando a episteme sobre o tema e sua transdisciplinariedade. O desafio de uma Cidade Educadora é incluir no repertório da cidade políticas culturais que respeitem e valorizem a diversidade cultural, o pluralismo e a defesa do patrimônio natural, construído e imaterial, ao mesmo tempo em que promovam a preservação da memória e a transmissão das heranças naturais, culturais e artísticas, assim como incentivem uma visão aberta de cultura, em que valores solidários, simbólicos e transculturais estejam ancorados em práticas dialógicas, participativas e sustentáveis.”
Rafael Albuquerque Braghiroli, gerente Executivo do IORM

“A Universidade ficou muito tempo distanciada da sociedade. Hoje começamos a pensar no diálogo mais aproximado, fazemos pesquisa, trabalhamos com caminhos para que isso ocorra.”
“Uma coisa é o discurso, outra coisa é colocar isso em prática, nossas ações falando sobre isso. Transformar a nossa pessoa é muito difícil. Nossas escolas pautadas em informação, não em construção e reflexão sobre os processos e utilizem diferentes linguagens. Nossa escola apenas pautada em linguagem oral, no discurso. Só trabalhamos um tipo de linguagem.”
Roberta Rocha Borges

“O papel da arte na construção do território educar e o papel das redes para a dimensão coletiva deste trabalho. Devemos assumir papel de inverter essa lógica política, garantindo investimento em educação. Temos que ter referência na criança, pensar em caminhos conjuntamente, considerando a especificidade de cada território. Quando falamos em municípios com poucos recursos, para o que estamos olhando. Território é muito dinâmico, além das instâncias formais, há conselhos, que são fundamentais para o diálogo. Trabalho precisa ter a sensibilidade do território para buscarmos outras potências, estimulando a colaboração. Ao falar mapeamento estamos atrelado a identificação que as vezes é frágil.”
Daniella Xavier

“Uma das maiores qualidades do homem é a capacidade de comunicar emoções, sensações, e por esse hábito de comunicação, o homem pode se relacionar com outros homens no tempo e no espaço. Para se comunicar o homem criou símbolos na pintura, na escultura, na arte, na dança, uma das mais antigas faculdades humanas. Com eles posso falar o que estou sentindo, sem impor, apenas apresentando sensações, impressões, ideias e sentimentos das mais variadas formas de manifestação das linguagens artísticas, fantasias, objetivos, consciência de valores, percepção de vida.”
Rosana Massuela

“Minha ideia de mundo perpassa pela noção de corpo. Que corpo é esse, que corpo sou eu. O que me pertence de fato? O conceito de sustentabilidade, é algo fora de mim, ou me pertence. Como eu ajo de forma sustentável? Auto reflexão sobre pensar, relacionar-se é mais necessária do que nunca. A dança é a valorização do corpo que sou. A dança tem o corpo como lugar de expressão. É onde a pessoa se coloca no mundo de fato.”
Daniele Gatti

Apresentação
Dois toques de cultura marcaram o Encontro de Rede. Os participantes foram recebidos pelos violeiros Luiz Carlos e Donizete com a verdadeira música raiz.
Os alunos do naipe de cordas do professor Rodolfo Spigalli do Projeto Guri Polo IORM Guaíra também se apresentaram.
O Polo IORM Guaíra atende a 123 alunos nos cursos de Canto Coral, Iniciação Musical, Violão e Percussão, desenvolvidos a partir da parceria com Instituto Oswaldo Ribeiro de Mendonça e Prefeitura Municipal de Guaíra, com coordenação da Associação dos Amigos do Projeto Guri da regional de Ribeirão Preto.

leia mais
Sem categoria

Artes e Ofícios abre inscrições para curso de Patchwork

no thumb

A elaboração de lindos trabalhos manuais em retalhos, pela técnica do Patchwork será o curso oferecido pela Artes e Ofícios Josy Ribeiro de Mendonça, em Orlândia.

O curso terá 12 horas aula de duração, com quatro aulas a cargo da professora Márcia Modes Gaioto Junqueira Reis. O conhecimento sobre a utilização da cor é uma boa base para obter ótimos resultados. Saber combinar as cores e os tons e conseguir uma harmonia entre eles, é um grande passo para quem deseja fazer um bom trabalho em patchwork.

As inscrições podem ser feitas até o dia 18 de outubro ao valor de R$ 180,00, que inclui os materiais utilizados nas aulas. Os recursos arrecadados com o excedente das inscrições serão dirigidos para os projetos desenvolvidos pelo Instituto Oswaldo Ribeiro de Mendonça – IORM.

leia mais
Sem categoria

Escola de Moda de Orlândia abre inscrições para o curso avançado Costura em Tecido Plano

Escola de Moda de Orlândia abre inscrições para o curso avançado Costura em Tecido Plano

Até o dia 6 de outubro, estão abertas as inscrições para o Curso nível Avançado de Costura em Tecido Plano, oferecido gratuitamente pela Escola de Moda Elas na Moda de Orlândia.

É exigido dos interessados no curso que tenham 16 anos de idade ou mais, saibam costurar em tecido plano. Ainda restam vagas no curso que terá duração de 8 semanas e carga total de 80 horas aulas.

Para facilitar o processo de ensino e aprendizagem, as turmas serão formadas por até 10 alunos. Serão três aulas de 3h20m por semana, que ocorrerão no Núcleo Cultural Oswaldo Ribeiro de Mendonça de Orlândia, o Castelinho. O horário e período das aulas serão definidos conforme a preferência da maioria dos inscritos.

As inscrições devem ser feitas até a próxima sexta-feira, das 8h às 12h e das 13h30 às 17h30, na Avenida do Café, 605, em Orlândia, diretamente com Valquíria. Os interessados deverão apresentar xerox de RG, CPF e comprovante de Residência com data do mês anterior à inscrição. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (16) 3726-5236.

A Escola da Moda “Elas na Moda” é o resultado da parceria firmada desde 2013 entre o IORM e o Fundo Social de Solidariedade do Estado de São Paulo, com o principal objetivo de qualificar pessoas em situação de vulnerabilidade social, visando proporcionar condições de geração de renda, além de estimular a socialização e inserção no mercado de trabalho.

O Projeto “Elas na Moda” proporciona uma nova possibilidade profissional, formando novos costureiros, antenados e com uma visão do processo da moda, contribuindo com a empregabilidade.

leia mais