fechar

Usina da Dança

Usina da Dança

Usina da Dança apresenta sua arte para idosos do Asilo Conferência São Vicente de Paulo de S. Joaquim

São Joaquim da Barra recebeu o Projeto Agenda Cultural na última sexta-feira, dia 30 de junho. O Projeto Usina da Dança desenvolvido pelo Instituto Oswaldo Ribeiro de Mendonça apresentou um fragmento do espetáculo O Mágico de Oz para os idosos assistidos pelo Asilo Conferência São Vicente de Paulo.

Foi a primeira e muito aplaudida apresentação do Projeto em São Joaquim da Barra. O Agenda Cultural tem o compromisso de disseminar arte e cultura junto a todos os públicos.

leia mais
Usina da Dança

Usina da Dança propõe reflexão sobre o Meio Ambiente

Usina da Dança propõe reflexão sobre o Meio Ambiente

Como temática transdisciplinar, a Biodiversidade é parte transversal do Meio Ambiente, um dos eixos propostos pelos Parâmetros Curriculares Nacionais de Educação.

Por este motivo e em comemoração ao Dia do Meio Ambiente, foi trabalhado com os alunos da Usina da Dança, durante a segunda quinzena de maio, o tema: Biodiversidade por meio das artes em alinhamento com o livro O Pequeno Príncipe. O trabalho foi desenvolvido durante os grupo de convivência, que reunem – se semanalmente, nas quatro cidades de atuação do projeto Usina da Dança, Polos Guaíra, Ipuã, Miguelópolis e Orlândia.

O intuito das atividades foi trabalhar a conscientização e uma melhor gestão dos recursos naturais, bem como a adoção de atitudes cotidianas de separação dos materiais recicláveis e preservação do meio em que vivemos, incluindo o ambiental e doméstico.

Cada cidade buscou sua melhor estratégia ao abordar a temática. Foram utilizados recursos como: recortes, colagens, criação de painel sobre a separação do lixo, pesquisa, confecção de brinquedos a partir do uso de materiais recicláveis trazidos pelos próprios alunos, cuidado e limpeza do ambiente onde vivemos etc…

“Esses temas vieram em constante conexão com a história de O Pequeno Príncipe, evidenciando o cuidado dele com seu planeta, com a rosa, e a constatação da importância de seu lar, quando sentiu isso durante sua longa viagem e que tornou tão prazerosa sua volta para casa. Essas ações conectadas permitem aos nossos alunos uma capacidade de conexão com o todo, trazendo, ao longo do tempo, a noção de que fazem parte de algo maior: uma cidade, um estado, um país, um planeta…e que têm que começar pela nossa casa.”, alerta a coordenadora artística da Usina da Dança, Valeria Pazeto.

leia mais
Usina da Dança

Leitura e Literatura: tema permanente para os alunos da Usina da Dança

Para a Usina da Dança Páscoa é tempo de profundas reflexões nos quatro polos do Projeto

Instigar os alunos a tornarem-se leitores de fato.

Esse é um dos objetivos que a Usina da Dança vem desenvolvendo nos polos Orlândia, Guaíra, Miguelópolis e Ipuã, a partir das Oficinas de Leitura e Literatura que ocorreram durante o mês de abril e que se estenderão por todo o ano.

Trata-se de um trabalho permanente de incentivo à leitura e contato com o livro. “Desde o início do ano, com o ingresso de novos alunos, eles também passam a integrar a dinâmica da adoção do hábito de ler”, conta a assistente social Leticia Gerim, que é responsável pelo desenvolvimento das atividades do Polo Ipuã, irmão caçula dos demais projetos veteranos nas demais cidades.

leia mais
Usina da Dança

Usina da Dança dissemina informação sobre alimentação saudável junto aos seus alunos

Para a Usina da Dança Páscoa é tempo de profundas reflexões nos quatro polos do Projeto

Por meio de pesquisas e investigação sobre qualidade nutricional dos alimentos, a Usina da Dança provocou entre os alunos do Projeto nos polos de Orlândia, Guaíra, Ipuã e Miguelópolis, a discussão sobre a importância da adoção de uma alimentação saudável para a qualidade de vida. A ação aconteceu na segunda quinzena de abril.

Com trabalho de colagem de recortes, os próprios alunos criaram um rico mosaico com informações sobre o nível calórico de cada alimento, que enfatizou, também os alimentos considerados mais e menos saudáveis. O passo seguinte foi a reflexão sobre a importância de cada alimento para o organismo.

Não vamos parar por aí. Não será apenas uma atividade. Para a coordenadora artística do Projeto, Valeria Pazeto, o tema Alimentação Saudável também deve integrar o processo educativo e por isso, tende a ser reforçado durante o decorrer do ano, como algo cotidiano e comum, afirmou.

Segundo a equipe psicossocial do Projeto Usina da Dança, responsáveis pelo planejamento e desenvolvimento das ações o objetivo também é informar e sensibilizar os alunos e suas famílias que a alimentação saudável é uma das melhores formas de prevenção às doenças, a partir do reconhecimento de que a reeducação alimentar requer discernimento e muita força de vontade, para distinguir os alimentos saudáveis e menos saudáveis, bem como, se alimentar nas quantidades certas, sem exageros e exclusões.

“Durante os encontros, enfatizamos que tudo pode ser experimentado. Que não é preciso passar vontade de comer as coisas devido seu nível calórico, porém alguns alimentos podemos comer mais outros menos, para que haja um equilíbrio entre os nutrientes necessários para fornecer saúde e energia ao corpo, como: proteínas, carboidratos, gorduras, fibras, cálcio vitaminas e outros minerais.”, reforçam as assistentes sociais Maira Mendonça – Polo Guaíra e Anelisa Perticarrari – Polo Miguelopolis.

leia mais
Usina da Dança

Para a Usina da Dança Páscoa é tempo de profundas reflexões nos quatro polos do Projeto

Para a Usina da Dança Páscoa é tempo de profundas reflexões nos quatro polos do Projeto

“Quem somos? O que representamos? Como agimos mediante as situações que vivenciamos? Como lidamos com cada uma delas?”, essas foram algumas das reflexões vivenciadas pelos alunos da Usina da Dança, projeto que o Instituto Oswaldo Ribeiro de Mendonça em Guaíra, Ipuã, Miguelópolis e Orlândia, durante a celebração da Semana da Páscoa.

A equipe psicossocial da Usina da Dança, formada por psicóloga, assistentes sociais e pedagogas, mediaram as dinâmicas dos grupos de convivência e socialização por meio da metodologia da Pedagogia da Roda.

“Essa pedagogia da roda privilegia o diálogo e a não-exclusão. A matéria-prima de todo o processo de aprendizagem são as pessoas – seus saberes, fazeres e quereres. Sabemos que a educação é algo que só acontece no plural”, destacou a coordenadora artística da Usina da Dança, Valeria Pazeto.

Os encontros grupais, compostos por dinâmicas e reflexões proporcionaram aos alunos questionamentos e o aprofundamento sobre o “nós” enquanto seres humanos e seus sentimentos.

“Este espaço de aprofundamento objetivou estimular sentimentos de perdão, resignação, renascimento conosco e com o outro próximo de nós, incentivando a manter atitudes mais positivas e um olhar mais de esperança mediante todas as situações”, afirmou a psicóloga Chayene Moraes do Polo Orlândia.

Ao final da semana de intensos e profundos trabalhos, os alunos receberam lembranças que marcaram a passagem da Páscoa.

leia mais
Usina da Dança

RUMO À EDUCAÇÃO INTEGRAL
Aulas da Usina da Dança chegam à Escola

Aulas da Usina da Dança chegam à Escola

A Emeb Alcineia Gouveia de Freitas foi a primeira escola de Orlândia e região a receber o Projeto Usina da Dança.

Serão ministradas aulas  a 400 alunos da instituição. Desse conjunto de alunos o IORM selecionará 40 alunos, 20 do período da manhã e 20 do período da tarde para ingresso no projeto. A seleção se dará por meio de análise de aptidão física. O número de alunos ingressantes equivale à formação de uma turma iniciante no Projeto.

As aulas acontecerão todas as quartas-feiras em ambiente escolar. A primeira temática desenvolvida será O Pequeno Príncipe, que a Usina da Dança trabalha para o espetáculo Natal Criativo, que será apresentado à comunidade no final do ano.

As ações serão desenvolvidas em conjunto  pelos professores da escola e do IORM, ampliando o entrelaçamento entre o Projeto e a rede oficial de ensino.

“Será um novo desafio, oferecer aulas de dança em ambiente escolar, atendendo esse aluno em seu espaço de aulas regulares. Trata-se de uma conquista que foi possível por meio da parceria firmada entre o IORM e a Prefeitura Municipal de Orlândia”, atesta a coordenadora do Projeto Usina da Dança, Valéria Pazeto.

leia mais
Usina da Dança

Pequeno Príncipe será o espetáculo do Natal Criativo na Usina da Dança

Já está definido. O Pequeno Príncipe será o próximo espetáculo que a Usina da Dança apresentará em sua tournée regional, durante mais um Natal Criativo, ao final deste ano.

Antes de ser encenado, é fundamental que personagens e obra existam dentro de cada aluno da Usina da Dança para que vivam o espetáculo e extraiam a essência desse livro.

A montagem é, na verdade, uma forma de reconhecimento à importância do Pequeno Príncipe e sua contribuição filosófica à várias gerações de crianças em todo o mundo.

O Pequeno Príncipe, escrito pelo aviador francês Antoine de Saint-Exupéry foi publicado pela primeira vez em 1943, quando o mundo vivia o drama da II Guerra Mundial. Exupéry viajou por muitos locais, conheceu diversas culturas.

O livro é um registro dessas viagens e experiências e fazer com que as pessoas refletissem sobre o relacionamento com outras pessoas, especialmente as diferentes da realidade imediata de cada um.

“O principezinho construía sua existência por estar aberto e se deixar afetar pelo contato com os personagens”, ressalta a crítica sobre o livro.

Para provocar o processo de descoberta do tema, a Usina da Dança realizou encontros nos polos Guaíra, Orlândia, Miguelópolis e Ipuã, colocando os alunos em contato com a obra durante encontros que foram realizados entre final de abril e início do mês de maio.

Professores espalharam pistas que remetiam a trechos do livro, propondo associações entre areia e o deserto, aviões e aviador, ovelha e caixa como desenhos, a rosa – flor do Pequeno Príncipe, planetas que estiveram no trajeto do personagem e tecido de pele marrom, provocando identificação com a raposa, personagem do livro.

“Além da descoberta do tema tínhamos o objetivo de que as pistas remetessem a sentimentos, lembranças, sentidos, sons…” provoca a coordenadora Artística da Usina da Dança, Valeria Pazeto.

“Só se vê bem com o coração, o essencial é invisível aos olhos”.

“O Pequeno Príncipe é uma obra que nos mostra uma profunda mudança de valores, que ensina como nos equivocamos na avaliação das coisas e das pessoas que nos rodeiam e como esses julgamentos nos levam a solidão. Nós nos entregamos a nossas preocupações diárias e esquecemos a criança que fomos. Pelas mãos desse menino o leitor recupera a meninice, abrindo uma brecha no tempo. Voltamos a sentir o perfume de uma estrela e a ouvir a voz de uma flor… Com ele reconquistamos a tranquilidade e a liberdade, deixando alojar se pela beleza, apossar-se a pouco da sabedoria e do discernimento do que seja essencial. O Pequeno Príncipe é enigmático, profundo, escrito de uma forma metafórica.
Fonte: https://psicologado.com/resenhas/analise-critica- do-livro- o-pequeno-principe
© Psicologado.com

Em todos os polos, os alunos foram direcionados a explorar os lugares e descobrir pistas…

A cada descoberta foi permitido um tempo para as crianças assimilarem, interagirem e perceberem aquilo que viam. Em seguida, professores conduziam questões que instigavam os pensamentos delas, para que conseguissem verbalizar tudo o que sentiam naquele momento.

As sessões foram encerradas com a contação da história pelo professor de teatro, Pipo Menegucci. Foram momentos de muita arte, descontração, encantamento, de construção e reconstrução. Muitas crianças nunca haviam escutado sobre o Pequeno Príncipe, e outras já haviam escutado mais não conheciam, de fato, a história.

Guaíra

Usina da Dança, turmas 1, 2 e 3 dos períodos da manhã e tarde

“Nessa história o avião cai no deserto!”, descobriu uma aluna da Usina da Dança de Guaíra. Outras verbalizaram que depois da pista dos planetas já tinham adivinhado o tema: “a rosa, o avião e os planetas só existem juntos no livro do Pequeno Príncipe”, disseram.

Ipuã

Usina da Dança, turmas 1, 2 e 3 do período da manhã

Os alunos criaram muitas hipóteses para o significado de cada uma das seis pistas que foram convidados a seguir. Não descobriram o tema, mas levantaram a possibilidade de várias histórias.

Miguelópolis

Usina da Dança, turmas 1, 2 e 3 do período da manhã

O espaço do Centro Cultural foi preparado com todas as pistas para a descoberta do Tema do Espetáculo. Quando as crianças chegaram estavam todas ansiosas, pois perceberam que havia pessoas diferentes e o ambiente também estava diferente. Foi uma grande surpresa e descoberta.

 

 

leia mais
Usina da Dança

Sentindo na Pele: Mães e Cuidadoras são homenageadas pela Usina da Dança

Usina da Dança - Guaíra
Usina da Dança - Guaíra
Usina da Dança - Guaíra
Usina da Dança - Orlândia
Usina da Dança - Orlândia
Usina da Dança - Orlândia
Usina da Dança - Miguelópolis
Usina da Dança - Miguelópolis
Usina da Dança - Miguelópolis

Promover o encontro. Permitir que o outro Sinta na Pele as experiências de nossos alunos.

Esse foi o mote da comemoração do Dia das Mães promovido pela Usina da Dança nos Polos Orlândia e Guaíra do Instituto Oswaldo Ribeiro de Mendonça.

Foi uma reunião estética, afetiva e de aprofundamento de vínculos entre os alunos e seus cuidadores, mediado pela equipe do projeto.

“Um olhar específico de quem cuida, um olhar específico de criação. Promovemos uma escuta mais cuidadosa envolvendo as equipes, os assistidos e as suas famílias, valorizando o trabalho de cada núcleo, num processo de aprendizagem sentidos e vivenciado. Isso nos possibilitou uma experiência mais poética.”, conta a coordenadora do Projeto, Valéria Pazeto.

No Polo Miguelópolis, a celebração também aconteceu. Mães e cuidadores receberam uma lembrança produzida pelos próprios filho e foram convidadas para assistirem as aulas.

leia mais
Usina da Dança

Usina da Dança promove encontro com os responsáveis por seus alunos

Um primeiro encontro de pais e responsáveis aconteceu nos dias 22 e 23 de março às 17 horas nas cidades de Miguelópolis, no centro cultural, em Ipuã no novo Polo do Instituto Oswaldo Ribeiro de Mendonça, em Guaíra no Núcleo Cultural Colorado e em Orlândia sede filial do Instituto ORM.

O Encontro

O encontro foi especialmente planejado para pais e responsáveis dos alunos ingressantes no Projeto Usina da Dança 2017, que objetivou promover acolhimento, socialização e fortalecimento da importante parceria que será construída e findada entre família e organização neste ano.

Para as técnicas, as assistentes sociais (Anelisa Perticarrara, Letícia Gerim, Maira Mendonça e a Psicóloga Chayene Moraes), que atuam nas quatro cidades de abrangência IORM e responsáveis pela mediação. Para elas, os encontros trouxeram grandes contribuições e foram muito produtivos, contou com significativa presença de pais e responsáveis que puderam perguntar e esclarecer sobre o projeto.

Grande parte, sobretudo, pais novos, não conheciam o trabalho desenvolvido pelo Instituto ORM, muito pouco, todo processo de desenvolvimento, investigação e aprofundamento desenvolvido pelo Projeto Usina da Dança, por meio das Artes (dança e oficinas).

“Para os encontros utilizamos como estratégica o vídeo institucional e a exibição de fragmentos do espetáculo do ano anterior o Mágico de Oz, o que permitiu um olhar mais voltado para o conhecimento prático e cotidiano dos alunos, bem como os resultados finais de todo o trabalho realizado durante todo um ano, além de provocar um enorme encantamento em cada um. Conseguimos alcançar os objetivos fins”, afirma Letícia Gerim, assistente social.

Com maior ênfase no mais novo polo ORM – Ipuã, o filho casula do Instituto, este, também pôde iniciar suas atividades trazendo pontos muito positivos no processo de construção e articulação com a família. Isso pode ser sentido já no dia do encontro, que contou com 90% da participação dos pais e responsáveis.

Acreditamos este ser o momento propicio para construção de maior aproximação com a família, é preciso somar forças para continuar esse belo trabalho e de tão grande relevância para os municípios.

A CARTA DE UMA MÃE À USINA DA DANÇA:

“Isso pode fazer a diferença nas suas vidas.”

“Esse era um sonho muito acalentado e ele enfim se realizou. A proposta é muito importante para a formação da criança, pois tem como objetivo incentivá-los e fazer com que interajam com outras pessoas e conta com uma preparação corporal das mesmas.
A Usina da Dança aproxima a realidade escolar com o contexto da dança. Assistir ao vídeo do espetáculo me fez me sentir naquela plateia e ver em cada bailarina a minha filha, uma realização.
Espero que cada pai saiba dar valor neste projeto e passe aos seus filhos a responsabilidade de cuidar, com responsabilidade e empenho do que eles têm, pois isso pode fazer a diferença nas suas vidas.
Muito obrigada ao IORM e seus colaboradores”
Josélia Momesso, mãe de aluna da Usina da Dança em Ipuã

leia mais
Usina da Dança

Um total de 243 novos alunos ingressam na Usina da Dança

Usina da Dança – Alunos Guaíra, SP

Um total de 243 alunos ingressaram no Projeto Usina da Dança, Polos Guaíra, Orlândia, Ipuã e Miguelópolis, a partir da seleção, que inclui testes de aptidão física, realizada em março de 2017. Agora o projeto soma um total de 460 alunos em seus Polos.

A Usina da Dança é um projeto socioeducativo e cultural que oferece acesso gratuito de crianças e adolescentes, à cursos de dança, artes cênicas, música, literatura e artes plásticas e promove a apresentação de espetáculos para a população da região nordeste do Estado de São Paulo, de forma a contribuir com a democratização cultural, a capacitação e o desenvolvimento integral dos participantes.

O Projeto prioriza crianças originárias de famílias de baixa renda, sendo obrigatório que todos os candidatos estejam matriculados na escola pública.

Todos os alunos admitidos no ano de 2016, que permaneceram na Usina da Dança foram rematriculados no projeto, por meio do atendimento aos critérios socioeconômicos exigidos, analisados em entrevista social com assistente social e psicóloga.

– Em Orlândia, 64 novos alunos ingressaram no Projeto, o que, somados aos 116 que permaneceram, totalizam 180 alunos.

– Guaíra terá 62 novos alunos na Usina da Dança em 2017, que somados aos 38 alunos que permaneceram, totalizam 100 alunos.

– O Polo Miguelópolis recebeu 37 novos alunos, que, junto com os 63 alunos rematriculados, somam 100 alunos.

– Em Ipuã, o Projeto Usina da Dança passa a oferecer 80 vagas.

Confira as fotos dos alunos em Orlândia, SP

Confira as fotos dos alunos em Guaíra, SP

Confira as fotos dos alunos em Ipuã, SP

leia mais