fechar
Usina da Dança

Projeto Agenda Cultural de Ipuã promove Oficinas de Leitura, Literatura e Convivência

O Projeto Agenda Cultural desenvolvido pelo Instituto Oswaldo Ribeiro de Mendonça – IORM, no Núcleo Cultural Ipuã, objetiva movimentar a cidade a favor da democratização, difusão e garantia de direitos culturais, oferecendo as crianças e adolescentes do município. Trata-se de uma Agenda com diversas opções de atividades, como: Oficinas nas modalidades de Dança, Leitura/Literatura e Convivência; de Fomento à Produção Cultural e Artística, apresentação e disseminação de Espetáculo de dança, e acesso ao ensino da música. Os conteúdos metodológicos das Oficinas conversam entre si e integram as temáticas trabalhadas por todos, conectadas ao um tema central. Previstas a ocorrer durante o período de 10 meses a aproximadamente 80 alunos aproximadamente. O ênfase é a realização das Oficinas de Leitura/Literatura e de Convivência.

As oficinas de Leitura e Literatura desenvolvidas no Núcleo Cultural Ipuã têm como objetivo principal despertar nos alunos assistidos o encantamento pelo livro e pela leitura, ampliando seu repertório literário cultural, contribuindo na aquisição da leitura interpretativa, crítica e consciente. Conduzidas por profissional habilitado, as oficinas foram realizadas semanalmente, dias de sexta feira, por meio de rodas de leitura e bate papo reflexivo sobre as histórias escolhidas.

 

Leituras do quadrimestre, destacadas pela coordenadora artística da Usina da Dança, Valeria Pazeto:

A partir do tema “Minha família colorida” os alunos puderam fazer o relato sobre seus familiares e sobre sua árvore genealógica. A atividade artística proposta foi a representação da família de cada aluno.

Outra iniciativa foi a leitura de Tiquinho, sobre a importância do respeito às diferenças, aspecto fundamental para pautar as relações. As questões foram geradas pela leitura orientada do livro “Para mudar o mundo”, que trata de dimensões como riquezas, pobreza, atos e atitudes de cada pessoa.

Um dos encontros também tratou sobre a obra “Uma latinha diferente”, que ressalta a importância da reciclagem de hábitos antigos e errados, enfatizando as mudanças necessárias no meio em que vivemos.

Os alunos aprenderam com um final feliz e transformador. Sobre o livro Fome de Monstro os alunos puderam brinca com leveza e um tanto de graça em relação ao medo do desconhecido, um sentimento que acompanha as crianças durante a infância.

 

Oficinas de Convivência:

Já as oficinas de Convivência, realizadas no período da manhã das quintas-feiras, períodos da manhã e tarde, visaram ao fortalecimento dos vínculos pessoais e familiares, através da promoção de atividades que possibilitem a convivência, a socialização, o protagonismo familiar, a valorização das diversidades culturais e as heterogeneidades.

Durante este primeiro quadrimestre de 2019, mediados pela assistente social Letícia Gerim, o conteúdo das Oficinas abordaram percurso sobre o respeito às diferenças étnicas raciais e sociais, com ênfase em atitudes de preconceito, Bullying, racismo, empatia e autoestima, com aprofundamento.

Foram utilizadas dinâmicas, músicas cantadas e composição, criação de poemas, poesias, coreografias e a representação de teatro, para trabalhar os temas propostos. As oficinas contaram com exercícios para promover junto aos alunos profundas reflexões sobre si mesmo. Em um dos encontros foi esclarecida a diferença entre Defeitos e Dificuldades. Foi solicitado aos alunos que identificassem dentre suas características negativas, aquela que não passava de uma mera dificuldade e que com esforço poderia ser melhorada, fazendo-os olhar para suas dificuldades como algo a ser superado.

Já no mês de abril, dando continuidade ao percurso traçado, o conteúdo abordado foi empatia, com o outro e nas relações. Empatia expressa na capacidade de se colocar no lugar do outro antes de agir. Foram dados exemplos objetivos de possíveis situações em que podemos exercitar ou não, nossa empatia.  Desta forma, as crianças também tiveram a oportunidade de aprender e cantar a música “Ninguém é igual a ninguém” de Milton Karam, e posteriormente apresentado às famílias no encontro do dia do cuidador.

Para finalizar o percurso sobre as Diferenças étnicas raciais e sociais, as crianças e adolescentes assistidos, assistiram aos filmes Cada um na sua Casa e Matilda. Resumidamente, o filme Cada um na sua Casa, exibido para as turmas de menor faixa etária, teve como objetivo apresentar a relação de uma criança humana com criaturas alienígenas, uma sugestão para que aprendamos a conviver espécies diferentes. Juntos, criança e alienígena superam suas diferenças e aprendem a conviver e a se respeitarem. Já o filme Matilda, exibido aos adolescentes, conta a história de uma menina pré-adolescente, extraordinária e muito inteligente, com dons e poderes sobrenaturais, mas com pais distantes que não lhes dão a atenção necessária, nem compreendem seus talentos. Sem saída, Matilda aprende sozinha a conviver e superar seus maiores desafios e dificuldades.

“As Oficinas de Convivência, percorreram temáticas que aparecem muito fortemente no dia a dia das crianças e adolescentes assistidos. Muitos deles não têm a oportunidade de expressarem seus sentimentos em casa, guardando para si sensações de indiferença, incapacidade, tristeza, baixa estima, se inferiorizando ou atacando os outros colegas com ofensas, como forma de aliviar sua insatisfação. Sabemos que as diferenças étnicas sociais e raciais existem em nossa sociedade, por isso, as crianças e adolescentes precisam desenvolver a capacidade da auto aceitação. Se se aceitarem e se amarem da forma como são, passarão a compreender que não existe um padrão de beleza, um modelo de família ou um modo de vida a ser seguido, existem apenas vidas e pessoas de diferentes raças, costumes e religiões, que precisam estar bem e viver bem”,  destaca Letícia Gerim, assistente social.

Tags: destaque

Deixar uma resposta